domingo, 31 de outubro de 2010

TANGERINE DREAM - Live in Brussels

Em 9 de Fevereiro de 1976, o Tangerine Dream tocou no Auditorium Paul-Emile Janson em Bruxelas na Bélgica. Foi um show fantástico, uma das melhores performances ao vivo do trio BAUMANN, FRANKE & FROESE nesse período.  Felizmente, alguém na audiência gravou o show. Esse tape foi remasterizado pela 3N e Giuseppe Milazzo criou uma capa maravilhosa. Esse foi o 27º concerto do Projeto Tangerine Dream, que abrangia todos os concertos ao vivo da banda. O Importante disso tudo é que tudo foi feito com o consentimento do grupo aos fans para a realização do projeto, já que não era um trabalho objetivando lucros. Era um trabalho de fans para fans. A música é uma perfeita mistura de sequenciadores, mellotrons e guitarras. É importante lembrar que esse foi o período mais importante e mais criativo do Tangerine Dream e suas performances ao vivo eram únicas, já que envolviam muito de improvisações que dificilmente eram repetidas em outros shows.
Esse concerto em Bruxelas foi excepcional pela interação entre os músicos. Algumas partes lembram "RICOCHET" ou "ENCORE", dois álbuns ao vivo oficiais.

A qualidade do som é muito boa, e o silencio da audiência é impressionante. Os concertos do Tangerine Dream tem realmente esse poder hipnótico.

Peter Baumann- keyboards
Chris Franke- keyboards
Edgar Froese - guitars, keyboards

CD 1

CD 2


quinta-feira, 28 de outubro de 2010

THIRSTY MOON - 1st

Um importante nome da cena Krautrock, THIRSTY MOON foi fundada em Bremem em 1972 e começou como uma bande de 7 membros. No mesmo ano eles gravaram o seu álbum debut pela Brain Records.
O álbum é composto por 4 faixas relativamente curtas e uma jam épica de cerca de 20 minutos.
O disco segue o típico estilo krautrock com fortes interpretações, longas jams e muito do estilo space rock. O sax é tocado por Willie Pape e varia de passagens suaves a partes mais heavys e abstratas.
Os vocais são em inglês com forte sotaque, o que na minha opinião se encaixa bem com a proposta da banda. MAs, a grande surpresa está nos solos inacreditáveis de sax e na percussão muito bem executada além dos solos de flauta. Algumas vezes parece que as faixas estão completamente fora de qualquer estrutura lógica, mas as audições repetidas darão a oportunidade que você precisa para apreciar o talento inegável do THIRSTY MOON. Adequado aos fans de JAzz e Kratrock.


HUBERT BOGNEMAYR & HARALD ZUSCHRADER

Este disco faz parte da história da musica eletrônica e de computador. Em 1982, ele era "avant-garde"..... Em 2010 é um CD "Vintage", embora parte de seu conceito inovativo e estético ainda esteja latente e desafie o ouvinte.
O álbum de Hubert Bognermayr e Harald Zuschrader feito para a Gravadora  ERDENKLANG explorava novas direções na musica eletrônica e se desviava do gênero cósmico da chamada "Escola Berlinense"
A Fairlight Computer Musical Instruments offerecia uma nova possibilidade de sequenciadores, um novo nível de qualidade sonora através de sua tecnologia digital, que foi pesadamente utilizada nesse "Computerakustische Klangsinfonie". Misturando ruídos naturais e concretos, sons industriais e amostras de coros vocais ou vários instrumentos acústicos, Bognermayer e Zuschrader exploram um novo estilo de musica eletronica ,  experimental e popular, melódica e abstrata, ao mesmo tempo, avant-garde sem ser hermética.
Para os buscadores de sons diferentes e envolventes, uma boa pedida.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

ILLUSION - Isotope

 1. Illusion (3:54)
2. Rangoon Creeper (6:01)
3. Spanish Sun (7:50)
4. Edorian (2:01)
5. Frog (2:31)
6. Sliding Dogs / Lion Sandwich (5:58)
7. Golden Section (5:15)
8. Marin Country Girl (2:10)
9. Lily Kong (2:32)
10. Temper Tantrum (3:46)

- Gary Boyle / guitars
- Nigel Morris / drums
- Laurence Scott / keyboards
- Hugh Hopper / bass
O segundo álbum do ILLUSION, Isotope, é ligeiramente diferente do seu antecessor já que metade do grupo se foi,incluindo o principal compositor, o tecladista BRIAN MILLER. No seu lugar entrou  LAURENCE SCOTT um tecladista meio que desconhecido. No lugar de JEFF CLYNE veio HUGH HOPPER, recém saído do SOFT MACHINE.
Realizado em 1974, ainda pela Gull Records, não é necessário dizer que com as mudanças o som do grupo também mudou, ficando agora ao sabor do balanço de BOYLE o que faz com que esse disco fique muito mais ao estilo da MAHAVISHNU.
Vale a pena dar uma conferida, pois trata-se de um bom álbum.

ITOIZ - Alkolea

1. Beheko Plaza
2. Hire Bideak
3. Ixilik Egon Hadi.Ixilik!
4. Errotaberri
5. Lanbrora
6. Marilyn: Sagardotegia Eta Jazzmana
7. Herri Neurak
8. Eroa Nazan
9. Hemen Gaur

Paco Chamorro - sax
Joseba Erkiaga - Galician bagpipe
Juan Carlos Perez - mandoline and guitar
German Ors - guitar
Antton Fernandez - keyboards
Joxe Garate - bass
Angel Celada - drums

Outra Pérola Sinfônica vinda da Região Basca. ITOIZ foi formado por JOSEBA ERKIAGA (Flauta), A. AZKARRAGA (Baixo), ESTANIS OSINALDE (Bateria), J.C. PEREZ (Guitarras) , e JOSE A. FERNANDEZ(Piano Fender Rhodes, Gran Piano, Órgão Hammond, Kong Polyfonice ARP Synthesizer). O estilo do ITOIZ é basicamente Folk Basco, Progressivo e pitadas de Jazz. E surpreendentemente não há influências nem traços da música Flamenca. A música deles é maravilhosa (voces vão notar a influência dos Grupos Italianos)com ênfase na interação entre os instrumentos de sopro ,dos teclados e guitarra . A maioria das canções possui vocais masculinos, enquanto as melhores músicas são com vocais fenininos. Eles cantam em "Basco".
Os seus álbuns anteriores são hoje considerados clássicos, embora somente o ITOIZ - Itoiz" seja considerado uma obra prima do Prog-Folk.
Os arranjos nos fazem lembrar o Genesis e o Camel, embora o ITOIZ tenha o seu estilo bem marcante e nada parecido com os grupos citados.
Neste segundo álbum do ITOIZ, Alkolea, os sintetizadores deram vez ao sax e ao violino, mas este disco ainda assim é um ótimo disco !...............Divirtam-se


terça-feira, 26 de outubro de 2010

NATÜRLICH PROG N.º 11

PROGRAMA QUE FOI AO AR EM 23/10/2010 PELA RÁDIO WEB UNDERGROUND LÁGRIMA PSICODÉLICA

NATÜRLICH PROG 11
BLOCO 1
TIM BLAKE:
. Song for a Nerw Age
. Blake's New Jeruzalem
. Passage sur la cre de la Revelation
BLOCO 2
TANGERINE DREAM:
. Logos Part One
. Bent Cold Sidewalk
 .Rising Runner Missed By Endless Sender
BLOCO 3
FAR EAST FAMILY BAND:
 .Nagare
SCHICKE, FÜRHS & FRÖHLING
. Symphonic Pictures Part 4
AGITATION FREE :
. Haunted Island
BLOCO 4
VANGELIS
. Let it Happen
EDWARD ARTEMIEV:
. Birth of Earth
. Who Am I

Produção & Apresentação - Gäel
Arte - Mr. Sara_Evil

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

ENCYCLOPEDIA OF SWEDISH PROGRESSIVE MUSIC - 1967 - 1979

"ENCYCLOPEDIA OF SWEDISH PROGRESSIVE MUSIC " 1967 - 1979

Hoje, com a perspectiva de 30 anos, tornou-se evidente que ainda existem algumas pérolas escondidas que nunca tiveram a chance de alcançar a audiência merecida.
Graças ao trabalho de muitos apreciadores da música  muitas dessas pérolas tem sido desenterradas . Foram encontradas muitas gravações geniais cheias de criatividade e musicalidade, algumas com ênfase no conteúdo político outras com qualidade musical inegável.
Muitas das gravações foram previamente editadas outras renovadas para fazerem parte da história do Rock Sueco. Encontraremos pioneiros como  HANSON & KARLSSON AND INTERNATIONAL HARVESTER , mas o foco principal está nos grupos dos anos 70. A maior parte das bandas está aqui, com seleções variando desde a mais óbvia e ingênua até as mais complexas. Por exemplo encontraremos  desde uma musica da HOOLA BANDOOLA BAND, do seu EP ridiculamente raro "SVIT FÖR P" , um pré-KEBNEKAJSE folclórico até um Jazz-Rock do NYNNINGEN.
Voces vão poder ouvir também, álbuns super raros do BIB SET, RESAN, SCORPION AND SOGMUSOBIL - discos que muitos colecionadores devem ter ouvido, mas poucos possuem em suas discotecas. Espero que essa postagem ajude a trazer o reconhecimento a todos esses grupos que durante anos ficaram guardados em prateleiras, vencidos pelo gosto duvidoso dos produtores musicais das companhias gravadoras.
Ouçam com cuidado, pois a "ENCYCLOPEDIA OF SWEDISH PROGRESSIVE MUSIC" não tem necessariamente nada de semelhante com a música do movimento progressivo Britanico de bandas como o YES, GENESIS  e ELP.  Ao invés disso, as bandas Suecas tocam num variado estilo musical, não menos belo e empolgante.
Espero que voces apreciem esse belo pacote que o NATÜRLICH PROG apresenta agora.






sábado, 16 de outubro de 2010

DELIRIUM III

1970-72
Ivano Fossati (vocals, flute, acoustic guitar)
Mimmo Di Martino (guitar, vocals)
Ettore Vigo (keyboards, vocals)
Marcello Reale (bass, vocals)
Peppino Di Santo (drums, percussion, vocals)

1972-74
Fossati replaced by:
Martin Grice (flute, sax, keyboards, vocals)

1975
Rino Dimopoli (guitar, keyboards, vocals)
Ettore Vigo (keyboards, vocals)
Marcello Reale (bass, vocals)
Peppino Di Santo (drums, percussion, vocals)

O DELIRIUM veio de Genova, a partir de uma banda beat chamada I SAGITTARI, e foi formada em 1970, gravando o seu primeiro single no ano seguinte.
Canto di Osana, apresentada no Festival pop de Viareggio e alcançou sucesso imediato o que proporcionou grande notoriedade ao grupo. Eles também venceram um concurso de bandas de rock na Radio Montecarlo em 1971.
O primeiro álbum, "Dolce Acqua", também de 1971 , contém uma mistura original de Progressivo, Jazz e algumas canções melódicas e o papel do cantor Ivano Fossati é evidentemente a locomotiva do grupo com a sua voz inconfundível e com solos de flauta muito marcantes.
Em Fevereiro de 1972, uma apresentação memorável na TV, durante o festival de Sanremo deu a eles o seu maior sucesso, Jesahel.
No meio de 1972, Ivano Fossati repentinamente teve que deixar o Delirium devido ao seu serviço militar e na volta, dedicou-se a carreira solo que é até hoje bem sucedida ( e sempre com influências Jazzisticas  e étnicas)
Fossati foi substituído pelo cantor Inglês Martin Frederick Grice (que veio do Boomerang), que além de tocar bem faluta é um excelente saxofonista.

O terceiro álbum da carreira do DELIRIUM foi gravado em 1974 e lógicamente chamado de DELIRIUM III ( Viaggio negli arcipelaghi del tempo) e considerado por muitos como o seu trabalho mais maduro. La battaglia degli eterni piani  contém uma atmosfera sombria, como não se ouve em nenhum outro disco do Delirium. A flauta aparece novamente com um papel importante e o sax só é usado  em "Viaggio n.2. Este também é o primeiro álbum do grupo em que aparece a guitarra elétrica, já que Mimmo Di Martino só tocava guitarra acústica nos álbuns anteriores.

No Início de 2007, com uma formação completamente modificada, tendo como membro original somente Ettore Vigo, Peppino Di Santo e Martin Grice com os novatos Roberto Solinas (vocals, acoustic and electric guitars) and Fabio Chighini (bass, vocals) gravaram o CD "Live-Vibrazioni notturne", como  álbum duplo  para o selo  Black Widow . Um grande retorno para um excelente grupo.






FRUUPP - Live, Liverpool Stadium 1975




Esse é um disco do Fruupp muito raro, pois as gravações ao vivo eram raras na época e destinadas aos grandes, pois demandava muito equipamento, o que na época era caro demais. Thanks to my friend Roger for this gem !  Thank you Friend !


quinta-feira, 14 de outubro de 2010

FRUUPP











O FRUUPP, foi formado no início de 1971 na Irlando do Norte, mas desenvolveu um grande fan Clube no Reino Unido. Eles realizaram alguns álbuns, Future Legends (1973), Seven Secrets (1974), Prince of Heaven's Eyes ( 1974) e Modern Masquerades (1975).
Eles foram relativamente populares no meio universitário e como grupo de suporte de grupos como o Genesis e o Queen na sua turnê pelo Reino Unido em 1974.

Eles tiraram o nome FRUUPP de uma página de anúncio de equipamentos eletrônicos a banda se encarregou de adicionar um outro "U" e mais um "P".
O Baixista Peter Farrelly foi o autor dos desenhos das capas dos álbuns
Stephen Houston deixou a banda em Janeiro de 1975 e tornou-se um ativista cristão. Foi substituído por John MAson, que pode ser ouvido no último álbum, Modern Masquerades, produzido pelo multi-instrumentista e membro fundador do King Crimson, Ian McDonald, que também tocou sax neste álbum.

A Banda se separou definitivamente em Dezembro de 1976.

No final de 2006, chegaram a ocorrer rumores de que o grupo se reuniria novamente e isso provocou uma declaração de Houston em seu site pessoal se dizendo completamente aberto a possibilidade de uma turnê de reunião; isso é claro, se a vida pessoal de cada um permitisse essa reunião.

  * Vince McCusker - Guitar,Vocals (born 3 October 1949, Maghera, County Londonderry, Northern Ireland)
   * Stephen Houston - Keyboards, Oboe, Vocals (Earl 1971 - January 1975) (born 18 July 1953, Belfast)
   * Peter Farrelly - Bass, Guitar, Lead Vocals (born 4 January 1949, Belfast)
   * Martin Foye - Drums, Percussion (born 13 May 1951, in Dungannon, County Tyrone, Northern Ireland)
   * John Mason - Keyboards, Vibes, Vocals (January 1975 - December 1976)

terça-feira, 12 de outubro de 2010

MANDALABAND





Para completar a coleção, Mandalaband 1st de 1975 e  The Eye of Wendor - Prophecies