sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

MONA LISA - Avant Qu'Il ne Soit Trop Tard


O Rock Teatro era uma forma popular de entretenimento entre os Franceses na década de 70. Sabe-se muito bem que as performances de Peter Gabriel e o Genesis tiveram um impacto enorme nas platéias Francesas, além do ANGE, que tinha a vantagem de ter a visão bem francesa sobre a forma de interpretação nesses espetáculos além de ter desenvolvido as suas próprias idéias nos shows.
O MONA LISA, um grupo de Orleans pertence a essa escola de Rock Teatro Francesa, que foi iniciada pelo ANGE. Possivelmente, o MONA LISA foi o grupo mais bem sucedido nesse tipo de espetáculo entre os seus concorrentes no início da década de 70.

L'Escapade ( gravado nos estúdios Citadel em Outubro de 1974) foi um álbum competente, embora tenha sido embotado por uma engenharia de som falha. Ele foi produzido pelo guitarrista do ANGE, Jean-Michel Brezovar (como primeira tentativa na nova função). Musicalmente, não passou de uma pálida marca de influência do GENESIS, particularmente nas partes de guitarra que mostram uma clara influência de Steve Hackett. Outra característica do disco é o estranho registro do orgão de Dominique Le Guennec.
De uma maneira geral, o álbum soa como um conjunto de idéia ainda mal resolvidas, embora tenha qualidade musical.

Não satisfeito com o resultado de seu primeiro álbum, o MONA LISA grava o seu segundo álbum,  GRIMACES, no estúdio Azurville em Setembro de 1975, ajudado por Jean-Pierre Massiera e por Bernard Belan. O som do grupo agora era maduro, com um uso mais variado e profissional dos instrumentos, com maior intensidade e temas mais estruturados e bonitos. O vocalista agora desenvolve um estilo mais distinto, mais forte e expressivo. Ao se ouvir o disco dá para imaginar Le Guennec se apresentando , com as suas roupas estravagantes, como as usadas nas apresentações ao vivo.
O álbum é cheio de partes brilhantes, tais como em "Le Jardin des Illusions" e em "Accroche-Toi Et Suis-Mois". É fácil perceber a influência do Genesis em "The Lamb Lies Down on Broadway" que havia sido lançado no ano anterior.

Mesmo assim, o MONA LISA era capaz de melhorar em cada álbum. O terceiro álbum do grupo foi a sua obra prima, se comparando aos melhores albuns do GENESIS e do ANGE. Isso se deu devido a cuidadosa montagem das composições e um som mais acessível. O grupo trabalhou vários meses com Massiera e a engenharia de Belan.


Fica aqui então, a minha sugestão para uma audição prazeirosa de uma legítima música progressiva francesa.

Apreciem os tres CDs do MONA LISA.

Dominique Le Guennec / lead vocals, flutes, sax, percussion
Jean-Paul Pierson / keyboards, vocals
Christian Gallas / guitar, vocals
Jean-Luc Martin / bass, vocals
Francis Poulet / drums, percussions, vocals


 Avant Qu'Il ne Soit Trop Tard

Nenhum comentário:

Postar um comentário