sábado, 18 de dezembro de 2010

PULSAR - Strands of the Future

O segundo álbum do Pulsar, "THE STRANDS OF THE FUTURE", é uma das obras-primas definitiva e indiscutível do prog francês e, juntamente com sua próxima gravação' Halloween ', representa o pico da banda em termos de inspiração e desempenho. Seu estilo continua a ser um pouco inspirado na era do Pink Floyd de 73 a 75, mas também há referências óbvias ao Tangerine Dream e a música eletrônica de Jean-Michel Jarre (devido a presença de múltiplas camadas de sintetizadores e Mellotrons) e também algumas passagens bastante convincentes de flauta e violão . Todo este complexo sonoro é perfeitamente manifestado na suite homônima top-notch de 22 minutos. Na verdade, essa faixa poderia ser referida como a canção Pulsar definitiva, uma vez que não só engloba as vários vertentes musicais que compõem o estilo da banda, mas também  os leva  para um nível magnífico - os temas e as modalidades são magistralmente criados sob a bandeira progressiva no seu estado mais essencial.
Os solos de guitarra que vão reaparecendo aqui e ali ficam em algum lugar entre o vibe hipnótico de Hackett e  as dissonâncias  de Fripp , na maioria das vezes criando diálogos interessantes entre os sintetizadores. . A breve seção cantada é magnífica, e assim são as linhas de sintetizadores e as canções que são exibidas através de todas as faixas seguintes, spacey sinfônica. Você pode dizer que este é o  prog poeticamente apaixonado típico do prog francês, mas não no sentido de Ange / Mona Lisa (teatral, cínico), mas sim em um clima mais melancólico, introspectivo, algo como uma viagem psicológica para os reinos mais profundos e obscuros do eu individual, o que explica porque o som do Pulsar tende a ser tão obscuro e sombrio em alguns momentos.

- Victor Bosch / drums, percussion
- Gilbert Gandil / guitars, vocals
- Roland Richard / flute, strings
- Jacques Roman / keyboards, synths
- Philippe Roman / bass, vocals


Strands of the Future

Nenhum comentário:

Postar um comentário