terça-feira, 31 de maio de 2011

NATÜRLICH PROG Nº 18

Programa que foi ao ar no último dia 28/05, pela Rádio Web Underground Lágrima Psicodélica.

NATÜRLICH PROG 18
BLOCO 1 - GASH
*Angel and Mother
*Twenty-one Days
*A Young Man's Gash Part 1
*A Young Man's Gash Part 3
BLOCO 2 - LA MASCHERA DI CERA
*La Maschera di Cera
*Del Mio Mondo che Crolla
*Del Mio Abisso e del Vuostro
*Del Mio Volo
BLOCO 3 - SCHÉHÉRAZADE
*Fall in Love
*The Gate to Legend
*Forever Mercury
*Once upon a Time
*Looking for You
*Suite - "Lights are Burnin'"

Produção e Apresentação - By Gäel

sábado, 28 de maio de 2011

GLASS HARP - It Makes me Glad


Em apenas dois anos o GLASS HARP surgiu no cenário da música, como um grupo colegial recém saído dos shows de ginásio para alcançar o prestígio no meio musical norte americano. Sua reputação como  a de uma banda que merecia ser vista ao vivo se espalhou o que fez a banda ganhar prestígio e importância no cenário musical do rock.




GLASS HARP - Glass Harp


O GLASS HARP é um trio que surgiu nos anos 70. Um típico power trio, guitarra, baixo e bateria, assim como o "Blue Cheer", "Primus", e o "Rush". MAs, assim como as bandas mencionadas, possui um som todo particular.Eles fazem basicamente rock, mas sua música tende a uma espécie de "Spacey Folk". A Maioria das música são suaves e "etéreas fantasias"  mas também tem o puro Rock'n'Roll.
Phil Keaggy - Guitarras e vocais
John Sferra - Bateria, violão, e vocais
Dan Pecchio - Baixo, Flauta e Vocais.



MÖDRY EFEKT - Je treba obout boty a pak dlouho jit

MÖDRY EFEKT - Ej Padá Padá Rosenka

terça-feira, 24 de maio de 2011

OSIRIS _Osiris



Neo-prog de Bahrein  ! O que você me diz? Sim, é verdade. Osiris, que provavelmente tenha surpreendido todos no mundo da música quando apareceu no início dos anos 1980, ostentando a sua marca impressionante de neo-prog, mostrando o quão longe os muitos tentáculos do rock progressivo poderiam alcançar.
Um álbum muito bom feito por um bando de fãs do Genesis e do Yes, reconhecidamente bastante talentosos (e, suspeita-se, também ricos).
Simplificando, "Osiris"é uma excelente banda prog dos anos 1980,  tão bom quanto qualquer coisa feita por meninos grandes da época, tais como o Marillion ou o Twelfth Night , e muito melhor do que qualquer um deveria ter ousado esperar de um grupo musical daquele lado do mundo.
A gravação é um pouco áspera, devido à falta de instalações de gravação decentes no Bahrein no início dos anos 1980, mas canções como "fantasia"  e  o impressionante épico de 11 minutos de duração "Sailors On The Seas Of Fate ", ainda um grande som.
É só baixar e curtir.

Studio Album, released in 1981

Songs
1. Fantasy (6:00)
2. Sailor on the Seas of Fate (11:46)
3. Struggle to survive (5:01)
4. Atmun (5:11)
5. Embers of a Flame (5:00)
6. A Story of Love (6:15)
7. Paradox in A Major (4:06)
8. Look Before You Leap (bonus track) (4:13)


Mohamed Al-Sadeqi (guitar, vocals),
Mohamed Abdul Razak-Aryan (keyboards, vocals),
Nabil Alsadeqi (drums),
Sabah Alsadeqi (lead vocals)
Abdul Razzak Arian (organ and other keyboards),
Nader Sharif (piano and other keyboards)
Ali Knonji in the bass

domingo, 22 de maio de 2011

CARPE DIEM_En Regardant Passer le Temps


1. Voyage du Non-Retour (3:48)
2. Reincarnation (12:50)
3. Jeux du Siecle (10:10)
4. Publiophobie (9:54)

- Christian Truchi / keyboards and vocals
- Gilbert Abbenanti / guitar
- Alain Berge / bass
- Alain Faraut / drums
- Claude-Marius David / flute, sopransaxophon and percussion

Sem dúvida este é uma jóia rara de álbum do começo ao fim e essa gravação da Musea é muito boa, pois fizeram um trabalho maravilhoso na re-masterização . Preparem-se para viajar com o CARPE DIEM.


CARPE DIEM_Cueille le Jour

1. Couleurs (21:38)
2. Naissance (3:23)
3. Le Miracle de la Saint-Gaston (3:38)
4. Laure (2:44)
5. Tramontane (3:37)
6. Divertimento (3:56)
7. Rencontre (Except from Couleurs - English Version) (3:22)


- Christian Truchi / organ, string ensemble, keyboards and vocals
- Gilbert Abbenanti / guitar
- Alain Berge / bass
- Alain Faraut / drums
- Claude-Marius David / flute, sopransaxophon and percussion

Esta é uma das mais belas obras musicais do prog a sair da França: "Cueille le Jour" é o  segundo álbum do Carpe Diem, que é cheio de magia, beleza e distinção. O som fantástico do  Carpe Diem é baseado em uma fusão de jazz mais delicados (sax e flauta partes, secção rítmica) e sensibilidade cativante sinfônica (teclados e guitarras). A tensão mágica do lado melódico KC funde fluidez  com introspectividade Pulsante misturadas com um certo senso de aventura. Tudo isso funciona para criar paredes de progressões de acordes inventivos, que servem como cortinas sonoras em que o sopro do sintetizador e solos de guitarra são exibidos magistralmente. Estas exposições nunca distraem o ouvinte do ambiente geral que os cinco músicos criam como uma unidade impecável. "Couleurs" é uma obra notável . O uso do humor  na musica, cuidadosamente sustenta a sutil build-up que preenche a primeira parte de 'Couleurs' e é perfeitamente alcançado: camadas de teclado e as frases e as linhas lúdicas na flauta e sax muito bem definem o núcleo da música. Uma vez que a secção rítmica é a sua trilha, a banda está pronta para assumir a unidade melódica imposta a si mesma e sewguir em frente.  
A parte cantada é típica do rock sinfônico francês, como uma mistura de Pulsar  e de  "Le Petit Violon"-do Mona Lisa. O final instrumental tem uma aura  patente de magnificência, com os instrumentistas entregando uma pomposidade controlada até a última nota. Um conjunto brilhante, é verdade! Apesar de menos impressionante, devo dizer que as outras 5 faixas restantes, embora menos intensas, também mostram a capacidade da banda para criar atrativos básicos, linhas melódicas e desenvolvê-los com inteligência, sem saturar o ouvinte. Em "Naissance"  o Carpe Diem encontra  o seu lado spacey. 
Mais adiante, eu sinceramente lamento que faixas 3, 4 e 5, não são tão brilhantes, pois  eu suspeito que eles teriam terminado sem um desenvolvimento mais detalhado. "Le Miracle de la Saint-Gaston" uma melancolia bonita e sensível ; "Laure é inclinada à orientação folk com um humor brincalhão para os padrões da banda, 'Tramontane" é mais um exercício refinado do lado jazzístico da banda, como de costume, baseada em uma arquitetura definida musical e incorporando alguns spacey undertones. 
Como eu disse, eu desejaria que essas faixas fossem mais longas ... mas é assim que é. 'Divertimento' O piano em dueto com o sax soprano serve como um encerramento  sob o disfarce de um Notturno.  
Uma jóia dp prog francês dos anos 70 que merece um lugar em qualquer coleção respeitável de prog

quinta-feira, 19 de maio de 2011

BLOCCO MENTALE - Π OA


Bernardo "Dino" Finocchi (vocals, sax, flute)
Aldo Angeletti (vocals, bass)
Gigi Bianchi (guitar, vocals)
Filippo Lazzari (keyboards, vocals, mouth harp)
Michele Arena (drums, vocals)

Uma banda fundada em 1972, nas cercanias de Viterbo, Filippo Lazzari de Viterbo, Aldo Angeletti  de Civita Castellana, Bernardino Finocchi de Ronciglione  e Luigi Bianchi from Tuscania.
O Blocco Mentale lançou um álbum, chamado Poa (palavra grega escrita na capa em letras do alfabeto grego, que significa "erva") em 1973 e desapareceu logo após seu lançamento.

Como foi apresentado no seu título, o álbum com sete faixas trata de ecologia, a letra é sobre poluição, natureza, flores e grama verde, às vezes com uma linguagem muito ingênua, típica daquela época.
Musicalmente o álbum tem alguns momentos muito interessantes, mas vira em direção ao pop, às vezes. O grupo tem algumas partes multivocal semelhante ao New Trolls, pois todos os membros são creditados como participantes dos vocais.
Um bom álbum, mas não no mesmo nível de muitos outros do ano de 1973.

A banda se separou após um único mais melódico single L'amore, muore um vent'anni, lançado logo após o álbum, mas retornou  mais tarde com o nome de  Limousine .
O novo grupo, mais comercial, ganhou alguns concursos importantes da música em 1978 e 1979, produzindo um par de singles.
O Cantor / saxofonista,  Bernardo Finocchi  lançou em 1980, sob o nome de Bernardo Lafonte, um  mini-LP de quatro faixas,  Sei tu proprio (Lettera A AQ122, com a ajuda de Michele Arena, Angeletti Aldo e Lazzari Filippo), e com o mesmo nome, junto com sua esposa Francesca Lota, alguns registros de inspiração religiosa.
O tecladista Filippo Lazzari morreu em um acidente automobilístico em 1991.



terça-feira, 17 de maio de 2011

WAPASSOU - LUDWIG Un Roi Pour L'Eternité


 1. Ludwig
   2. Le lac de Starnberg (1886 by Richard Wagner)
   3. Ladieu au roi
   4. Hymne au nouveau romantisme

Line-up / Musicians

- Freddy Brua / keyboards
- Karin Nickerl / guitars
- Jacques Lichti / violin
- Veronique Nickerl / vocals
- Marc Dolisi / synthesizers

Ludwig II , rei da Baviera, composto no ano de 1977. Freddy Brua escolheu esse personagem histórico, rei louco e protetor das artes, para ilustrar o 3º tema da 3ª parte da sua trilogia filosófico-musical. Este trabalho, segundo o próprio BRUA,é uma homenagem à arte em geral e uma visão da eternidade. Para ele não existe  maneira mais gloriosa de se representar a eternidade senão pela arte. Mesmo próximo ao final dos tempos, somente a arte restará ao homem. Para Brua, o maior protetor das artes foi Ludwig II, amigo de Wagner.

sábado, 14 de maio de 2011

AFTER CRYING - Overground


Overground music é o CD inaugural da banda de prog sinfônico húngara After Crying. Há um elemento de câmara em suas músicas, provavelmente causado pelo papel proeminente do violoncelo e outros instrumentos de cordas , bem como a falta de bateria neste lançamento.
As variações de tons,  são criadas principalmente pelo violoncelo, piano / viola / fagote / trombone / trompete. Isso dá um som acústico que poderia fazer lembrar de Art Zoyd, mas há várias diferenças. Por um lado, isso é bastante prog sinfônico em linha reta, com vocais (em Inglês acentuados) e flauta para adicionar alguns toques mais leves na música.
Por outro lado, as influências do folclore húngaro e Bartók são compensadas por acenos de Frank Zappa em uma faixa, e as vezes o som  lembra  um pouco o início do King Crimson.

A crítica considera este CD não tão bom quanto os outros, mas eu, particularmente não vejo por este lado. Talvez essa má vontade se prenda aos vocais em inglês ao invéz do húngaro, lingua nativa do grupo.
Talvez esse CD não seja tão fácil e simples de se ouvir. É mais apropriado para quem já tem alguma educação musical, pois trata-se de uma música complexa, experimental e com fortes influências de música clássica .

sexta-feira, 13 de maio de 2011

AFTER CRYING -Föld És Ég


                    1- Manticore Érkezése I     Vedres, Winkler    
        2- Manticore Érkezése II     Egervari, Gacs, Pejtsik, Winkler    
        3- Enigma     Egervari, Winkler    
        4- Rondo     Vedres    
        5- Zene Gitárra     Torma    
        6- Leltár     Jozsef, Vedres    
        7- Júdás     Egervari, Gacs, Gorgenyi, Pejtsik…    
        8- Cisz-Dúr Koncertetûd     Vedres    
        9- Puer Natus in Bethlehem     Vedres    
        10- Bár Éjszaka Van     Egervari, Gacs, Pejtsik, Torma…    
        11- Kétezer Év     Egervari, Gacs, Gorgenyi, Pejtsik…    
Composed by: Egervari, Gacs, Gorgenyi, Pejtsik, Torma, Vedres

terça-feira, 10 de maio de 2011

PAN & REGALIZ - Pan & Regaliz

Um dos primeiros grupos de rock espanhois a ter lançado um álbum. Eles fizeram isso porque não sabiam que era possível, diz o livreto. Embora o Generalíssimo Franco estivesse em seus últimos anos, o ditador ainda estava mantendo um firme controle sobre o país mas grandes aberturas estavam sendo feitas para que o turismo europeu gastasse seu dinheiro, pois o regime não era tão incrivelmente apertado como era antes, o que significava que alguns desses grupos rebeldes seriam capazes de publicar discos de rock se esgueirando através das redes. Entre os demais grupos na fase inicial eram SMASH (com Gualberto Garcia do Gualberto Fame), MO (jazz-rock), MUSICA DISPERSA depois SISA (folk-rock), MAQUINA (Grande prog RnR) e TAPIMAN (com Max Sunyer, futuro ICEBERG ).

Juntos com Guilhermo Paris que veiio da Banda  OTHIS , esses caras que são dos subúrbios de Barcelona tinham sido parte de um grupo folk, Els Mussols, antes de mudar seus nomes para "Aqua De Regaliz", lançaram alguns singles e novamente (juntamente com o baterista) pouco antes de gravar o único álbum como Pan & Regaliz). O mínimo que podemos dizer é que os membros do grupo adoravam o álbum de estréia do Jethro Tull , "This Was" e de alguma forma o "Cream" não era ignorado também. O grupo tem mais do que uma ligação com os rivais/amigos da cidade vizinha / MAQUINA , tocando em várias excurções juntos, partilhando membros  e o mesmo  rótulo (gravadora). Mas, novas mudanças (trazendo ex-membros do Tapiman) logo traria o melhor de PAN & REGALIZ.

Integrantes:
Arturo Domingo-/ baixo / vocal
Alfonso Bou - guritarra / vocal
Pedro Van Eeckhout - bateria / percusão
Guillermo Paris - vocal / flauta / harpa


01 - One More Day - 3.29
02 - Waiting In The Munster's - 3.11
03 - Dead Of Love - 3.15
04 - Thinking On Mary - 3.29
05 - A Song For The Friends - 2.21
06 - When You Are So bring Down - 3.14
07 - Todaz It Is Raining - 9.17
08 - I Can Fly - 3.38

domingo, 8 de maio de 2011

PROCOL HARUM - A Salty Dog

Aqui termina a série PROCOL HARUM

sábado, 7 de maio de 2011

PROCOL HARUM - SOMETHING MAGIC


Em 1975, o Procol Harum se apresentou na última noite no Rainbow Theatre em Londres.  Mais mudanças de pessoal contribuíram para o declínio das vendas na parte final da década de 1970, com "Pandora's Box", sendo o seu final UK Top 20 hit em 1975.  No seu álbum Procol Ninth viu uma reconexão com Jerry Leiber e Mike Stoller, que ajudaram a produzir e escrever junto com a banda.  A banda finalmente se separou em 1977, depois de ver Something Magic na posição 147 na Billboard  e 200 nos EUA . Uma injustiça, pois Something Magic é um dos melhores álbuns do PROCOL HARUM.  Eles se reuniram para uma única apresentação, cinco meses depois, quando "A Whiter Shade of Pale" foi nomeado vencedor junto com "Bohemian Rhapsody" do QUEEN, as melhores músicas do Pop Single Britânico no período de 1952-1977 no Brit Awards, que faz parte do JUbileu de Prata da  rainha Elizabeth II .

A banda se reuniu em 1991, com Brooker, Fisher, Trower e Reid (Wilson tinha morrido em 1990), e lançou "The Prodigal Stranger", mas as vendas foram modestas.
 Após o lançamento do álbum, uma nova encarnação da banda, com Brooker e Fisher, mas não Trower, percorreu os EUA e o mundo por alguns anos na primeira metade da década de 1990.

Em julho de 1997, os fãs organizaram a celebração do 30 º aniversário do sucesso de "A Whiter Shade of Pale", e convidaram a banda então inativa para um concerto em Redhill. Um resultado directo do concerto foi a criação do site de fãs "Beyond the Pale", em Outubro de 1997. Incomum para sites de fãs, "Beyond the Pale" se orgulha de ser atualizado  diariamente desde então. As atualizações recentes incluem notícias do Procol Harum , informações sobre shows da década de 1970 e, ocasionalmente, mensagens da banda.  O site também fez os fãs estarem sempre em contato, assim, catalisada  foi desencado um novo interesse na banda. Isso, então, levou à Palers 'Project, em que os fãs se reuniram para gravar quatro álbuns em CD duplo de músicas Procol Harum em arranjos novos, que por sua vez, financiou o site. O último destes álbuns foi lançado em 2008.

No final de 1999, Brooker prometeu que "Procol iria tocar novamente  em 2000", e em setembro a banda fez um show ao ar livre com o New London Sinfonia em Guildford.

Em 2000, Procol Harum recebido alguma atenção após a canção "In Held Twas em I ", apareceu no  "Transatlantic's debut album"..

Desde 2001, a banda, composta Brooker, Fisher, Geoff Whitehorn (guitarra), Matt Pegg (baixo) e Mark Brzezicki (bateria), fez várias turnês na maior parte da Europa, mas também no Japão e nos EUA. Um concerto de 2001 em Copenhagen, foi lançado em DVD em 2002. Em 2003, a banda lançou o álbum "The Well's on Fire". Um concerto de dezembro 2003, em Londres, com grande parte do material desse álbum, foi lançado em DVD em 2004: Live at the Union Chapel. Fisher deixou Procol Harum em 2004.

A banda retomou a agenda de shows limitados em 2005, com Josh Phillips substituindo Fisher no Hammond, deixando Brooker como o único membro original . Em junho de 2006 eles tocaram no Isle of Wight Festival. Em agosto de 2006  o Procol Harum tocou em dois shows ao ar livre com a Orquestra da Rádio Dinamarquesa no Castelo de Ledreborg , na Dinamarca, que foram tele-gravadas. Com uma hora de duração a edição do show foi transmitido na manhã de Natal, de 2008, pelo DR2 Canal dinamarquês e todo o concerto foi lançado em DVD em 11 de maio de 2009 (com seis faixas extras a partir de uma gravação de TV dinamarquesa da banda  em 1974).

Mais tarde, em 2006, tocaram na Suíça, Noruega e Dinamarca, mas com Geoff Dunn substituindo Brzezicki na bateria, porque  ele pertencia a outra banda, e o  "Casbah Club" estava em turnê com o The Who . No entanto, Dunn acabou substituindo Brzezicki para a turnê européia da banda em 2007. A gravação dos shows italianos foram liberados mais tarde como "The One Eye to the Future – Live in Italy"  álbum de 2007.  O Procol Harum também tocou em um concerto orquestral na Suécia em 30 de junho. Eles tocaram com a Orquestra Sinfônica de Gävle na ópera ao ar livre "Dalhalla", perto Rattvik.

Eles tocaram no nos USA  (e Toronto) nos concertos em junho de 2010, em sua maioria fazendo abertura para o Jethro Tull. Em 22 de julho o Procol novamente é  manchete no Festival Keitelejazz em Äänekoski, na Finlândia - local onde a banda se apresentou com um Brooker ferido em 2009. Eles descreveram esse público fiel finlandês como "o melhor do mundo" e tocaram uma versão original de três-versos de A Whiter Shade of Pale com um solo de guitarra de Geoff Whitehorn.
48 horas depois o Procol foi convidado a dar um concerto gratuito no pátio do Palácio da Província de Bergamo, na Itália. Em Agosto de 2010 eles apareceram em Bad Krozingen na Alemanha e um evento de Rock Legends no Charlotty Dolina Amphitheater, na Polónia.
Depois de um show de Halloween em Leamington Spa (seu primeiro no Reino Unido por três anos) a banda retornou à América do Norte em novembro, para um novo evento orquestral com a Orquestra Sinfônica de Edmonton em 09 de novembro. Depois de tocar em Tallin, na Estónia, em 18 de novembro, eles voltaram para os EUA para um concerto orquestral em Wilmington, Delaware em 04 de dezembro.
Mais de 13.000 pessoas viram os oito concertos de Ano Novo com a Orquestra da Rádio Dinamarquesa em Copenhagen e noutras cidades dinamarquesas em janeiro de 2011.  A banda volta  para o Festival Kløften em 25 de junho.


Em julho de 2009, Matthew Fisher ganhou um julgamento em um  tribunal britânico que lhe atribui 40% dos royalties retroativos a partir de 2005 até 1967 é "A Whiter Shade of Pale", que já tinha ido 50% para Brooker pela a música e 50%  para Reid pela  letra.


O segundo livro de Douglas Adams Hitchhiker's Trilogy, O Restaurante no Fim do Universo, foi inspirado pela canção "Grand Hotel ", do álbum Procol Harum, de mesmo nome.
Depois da gravação deste álbum, Copping deixou a banda. Dee Murray (Baixista do Elton John) entrou em seu lugar para a turnê Norte Americana de promoção do álbum.

 1. "Something Magic" - 3:37
   2. "Skating on Thin Ice" - 4:49
   3. "Wizard Man" - 2:41
   4. "The Mark of the Claw" - 4:39
   5. "Strangers in Space" - 6:08
   6. "The Worm & The Tree Part One" - 7:50
               6.1. "Introduction"
               6.2. "Menace"
               6.3. "Occupation"
   7. "The Worm & The Tree Part Two" - 5:29
               7.1. "Enervation"
               7.2. "Expectancy"
               7.3. "Battle"
   8. "The Worm & The Tree Part Three" - 5:20
               8.1. "Regeneration"
               8.2. "Epilogue"
ÁLBUNS DE ESTÚDIO DO PROCOL HARUM

    * Procol Harum (1967)
    * Shine on Brightly (1968)
    * A Salty Dog (1969)
    * Home (1970)
    * Broken Barricades (1971)
    * Grand Hotel (1973)
    * Exotic Birds and Fruit (1974)
    * Procol's Ninth (1975)
    * Something Magic (1977)
    * The Prodigal Stranger (1992)
    * The Long Goodbye (1995)
    * Ain't Nothin' to Get Excited About (1997; as Liquorice John Death)
    * The Well's on Fire (2003)



sexta-feira, 6 de maio de 2011

PROCOL HARUM - Shine on Brightly

Depois de WHITER SHADE OF PALE, o PROCOL HARUM gravou Shine on Brightly em 1968.

PROCO HARUM- Live With The Edmonton Symphony

Procol Harum voltou ao sucesso nas paradas no ano seguinte, com um som de rock sinfónico, muitas vezes apoiados por orquestras sinfônicas. Neste que foi um dos primeiros grupos a alcançar o sucesso; Procol Harum Live com a Orquestra Sinfônica de Edmonton foi um disco de ouro nos EUA em 1972, bem comoatingindo a 48ª posição na Grã-Bretanha. "Conquistador" (uma faixa de seu primeiro álbum, re-mapeados para o acompanhamento da Sinfônica de Edmonton em 1971) foi um hit em 1972, chegando a 16º nas paradas nos EUA e no Canadá, enquanto atingia o 22º lugar no Reino Unido . Seu álbum seguinte, o Grand Hotel, foi muito bem, alcançando a 21ª posição na Billboard entre os 200 mais dos EUA em 1973.