quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Lacrimosa_Schattenspiel


O Lacrimosa e o projeto musical, iniciado na Suíça, pelo alemão Tilo Wolff. O novo álbum  comemora o aniversário de 20 anos do grupo e é composto por uma série de canções compostas e gravadas pela banda desde o primeiro álbum, mas  que nunca foram lançadas  nas versões gravadas em “Schattenspiel”.
Este  álbum, duplo, traz 18 musicas  em ordem cronológica, desde o início da carreira do grupo o que ajuda ao ouvinte perceber as diferenças entre o Lacrimosa de 1990 e o de 2010. As duas músicas novas são “Sellador” e “Ohne Dich Ist Alles Nichts”, que mostram claramente a sonoridade  que o Lacrimosa conseguiu desenvolver  nos últimos dez anos.
“Schattenspiel” cumpre bem seu papel de representar o caminho da banda nos últimos vinte anos, além  de ser um presente aos fãs que acompanham a banda.

 Tracklist do álbum

01. 1990 Seele in Not (Urversion)
02. 1990 Requiem (Urversion)
03. 1990 Seelenübertritt
04. 1990 Schuld und Sühne
05. 1992 Dreht Euch
06. 1993 Dem Ende entgegen
07. 1994 Schakal (Urversion)
08. 1994 Vermächtnis der Sonne (Urversion)
09. 2002 Ein Hauch von Menschlichkeit (Late Night Remix)
10. 2003 Morgen
11. 2003 Schönheit straft jedes Gefühl
12. 2004 Ein Fest für die Verlorenen
13. 2005 Mantiquor
14. 2006 Der Verlust
15. 2007 Déjà vu
16. 2010 Sellador
17. 2010 Ohne Dich ist alles nichts


sábado, 27 de agosto de 2011

Black Widow - 1971 - III

Line-up / Musicians
- John Culley / electric and acoustic guitar and vocals
- Zoot Taylor / organ and piano
- Kip Trevor / lead vocals, acoustic guitar, percussion
- Clive Jones / flute and sax
- Jeff Griffith / bass guitar and vocals
- Romeo Challenger / drums and percussion

Songs / Tracks Listing 1. The battle (10:54)
a) The onslaught
b) If a man should die
c) Survival
2. Accident (4:12)
3. Lonely man (4:51)
4. The sun (4:30)
5. King of hearts (6:41)
6. Old man (9:10)
Black Widow foi uma banda de rock formada em Leicester, Inglaterra, em setembro de 1969. A banda ficou conhecida principalmente por seu uso  de imagens satânicas e ocultistas em suas músicas e no palco. Muitas vezes  foi confundida com a mais conhecida banda de heavy metal, o Black Sabbath, mas essas semelhanças eram apenas superficiais.

A banda originalmente formada em 1966 como Pesky Gee! com Kay Garrett (vocais), Kip Trevor (vocais, guitarra e gaita), Dredge Chris (guitarra), Bob Bond (guitarra baixo), Clive Box (bateria e piano), Jess "Zoot" Taylor (órgão), Clive Jones (saxofone e flauta).  Jim Gannon (guitarra, vocais e vibrações), substituiu Dredge na Primavera de 1969. A  Pesky Gee se separou em setembro de 1969.

A banda lançou um álbum para a gravadora Pye como  Pesky Gee!, em 1969, antes de Garrett deixar a banda. Os outros membros continuaram como Black Widow e lançaram seu  álbum de estréia em 1970. [Sacrifice] Talvez mais conhecida do que sua própria música foi o uso  de referências ocultas em sua música e  as suas performances ao vivo, que criaram controversias com a simulação do sacrifício de uma mulher nua.  Esses atos na época eram muito chocantes, mas agora são de uso comum no cenário da música underground e black metal a banda criou outra controvérsia usando como consultor o infame bruxo Alex Sanders para aconselhá-los.

Polêmicas à parte, Sacrifice alcançou # 32 no UK Albums Chart. A banda também se apresentou no Festival de Pentecostes em Plumpton, Reino Unido, e no The Isle of Wight Festival, em 1970. Em 1971, a banda  se afastou da sua imagem mais ocultista em um esforço para ganhar um público mais amplo e  não teve sucesso.
  Substituindo  Bond  e  Box  por  Geoff Griffith e Challenger Romeo o Black Widow lança o  álbum Black  Widow em 1971 e Black Widow III em 1972 (momento  em que Gannon sai e é substituído por John Culley) devido ao desinteresse geral eles são dispensados pela CBS Records. A banda gravou um álbum, Black Widow IV, mais tarde, em 1972, sem um contrato de gravação. Não obteve repercussão , com a banda se separando, pouco depois de substituir o vocalista Kip Trevor, por outro cantor conhecido como Rick "E" (nascido Frank Karuba, anteriormente de "Plum Nelly").



quarta-feira, 24 de agosto de 2011

GRANADA – Hablo De Una Tierra (1975)

Pioneiro do início dos anos70, a banda espanhola progressiva Granada foi o projeto musical do multi-instrumentista Carlos Carcamo. A banda tem um estilo único. Lembram os mexicanos "Iconoclasta", e também outras bandas espanholas como Triana. As influências britânicas vêm doYes e do Jethro Tull e outras bandas italianas muito presente em seu som. A ênfase do Granada se baseia nos teclados (com profusão de moog e mellotron) e passagens de guitarra . Eles soam como uma mistura de fusion e influências sinfônicas.
Seu álbum de estréia "Hablo De Una Tierra" foi lançado em 1975. As seis composições de som muito variado (de rock e blues Americano e rock sinfônico), com fortes vocais espanhol, guitarra poderosa (alguns solos de morder), teclados agradaveis (muitas linhas de mellotron muito legais) e solos de flauta inspirados em Ian Anderson. A faixa-título inclui um dueto esplêndido e muito original da guitarra flamenca e Mellotron de  Manolo Sanlucar e Carlos Carcamo . Muito legal !

- Juan Bona / drums, percussion, backing vocals
- Carlos Carcamo / flute, violin, pianos, Mellotron, clavicord, acoustic guitar, vocals, percussion
- Antonio Garcia Oteyza / bass
- Michael Vortreflich / guitars
with
- Jose Luis Barcelo / mandoline (4)
- Javier Huidobro / Spanish guitar & backing vocals (2)
- Antonio Renteria / acoustic guitar (4)
- Manolo Sanlucar / Spanish guitar (3)
- Carlos Tena / voice

Track List:
01. Granada – 6:28
02. Rompiendo La Oscuridad – 5:35
03. Hablo De Una Tierra – 6:36
04. Nada Es Real – 5:01
05. Es Le Momento De Oir Un Buen Rock – 6:43
06. Algo Bueno – 6:12




FERMÁTA / PIESEň Z HÔľ


Esta reedição na minha  é a união de dois álbuns muito diferentes. Enquanto o auto-intitulado "Fermata" é bastante agressivo, num jazz rock de excelente qualidade, o outro álbum "hol Piesen z" é muito mais fácil com elementos de rock quase ausente (com a notável exceção da faixa-título, que  demonstra todo o virtuosismo e musicalidade de Griglak , excepcionais). Apesar de não ser nada excepcional, a parte de "hol Piesen z" não  é tão emocionante.
Tomás Berka / keyboards, percussion
Frantisek Griglák / guitar, vocals, keyboards
Anton Jaro / bass, percussion
Peter Szapu / drums, percussion (75)
Milan Tedla / violin, jew's harp (76)
Cyril Zelenák / drums, percussion (76)

Fermata -75
1. Rumunská rapsódia (5:52)
2. Perpetuum II (10:27)
3. Postavím si vodu na caj (4:19)
4. Valcík pre krstnú mamu (7:03)
5. Perpetuum III (11:06)
Piesen z hol' -76
6. Piesen z hôl (11:08)
7. Svadba na medvedej lúke (4:17)
8. Posledný jarmok v Radvani (4:32)
9. Priadky (7:38)
10. Dolu Váhom (2:21)
11. Vo Zvolene zvony zvonia (10:10)

sábado, 20 de agosto de 2011

AIR LORD_ClockworkRevenge



Steve MacKenzie / vocals, guitar
Ray Simenauer / vocals, guitar
Brad Murray / bass, vocals
Alan Blackburn / keyboards
Rick Mercer / drums

1. Clockwork Revenge (6:36)
2. Pictures In A Puddle (4:01)
3. Ladies Of The Night (9:40)
4. Earthborn Pilgrim (4:55)
5. Out Of The Woods (6:54)
6. Is It Such A Dream (5:08)
7. You Might Even Be (4:23)

Isto é progrock de Wilmington, Nova Zelândia, do outro lado do mundo para  nós! Esta banda de cinco componentes que estava enraizada em 76 e dissolvida em 78 gravou um álbum incrível. "Clockwork Revenge".
Este é um álbum impressionante que tem um ritmo fluente, com vôos de sintetizador sensacionais, ótimo trabalho de guitarras (Cada guitarrista tem seu próprio som) e um característico duo-vocal (um som com um vocal como o  de Peter Gabriel ). A parte final inclui um poderoso solo de guitarra cortante.  -  Pictures In A Puddle . A primeira parte é muito suave com vocais emocionais, teclados em ascenção e  guitarra rítmica, então um ritmo médio com uma guitarra de feroz e um belo coro de Mellotron. 3 - Ladies Of The Night abre com um ritmo lento e um clima meio folk, então solos de mudar o humor, incluindo um majestoso coro de Mellotron  e para completar, um wah-wah de guitarra encharcada . Os vocais  excelentes dão uma dimensão extra para a música 
 Esta banda gravou um ALBUM, muito original! 

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

It's A Beautiful Day – At Carnegie Hall (Live 1972)

Esta é a única gravação oficial disponível do "It's A Beautiful Day" em um ambiente de show ao vivo. A banda estava na estrada  para promover o seu terceiro álbum "Choice Quality Stuff/ Anytime". É estranho então que apenas uma faixa desse álbum, "The Grand Camel Suite" (curiosamente  uma canção de três minutos), esteja incluída no álbum. Outras canções do novo álbum podem ter sido apresentadas, é claro, mas se foram, eles as omitiram em favor de versões cover e números mais velhos.

O álbum abre com "Give your woman what she wants", uma canção escrita pelo lendário Taj Mahal. Pattie Santos, que é muito mais "up-front"   neste álbum do que em todas as gravações de estúdio ,. Ela tem o desempenho de uma verdadeira Janis Joplin .

O Carnegie Hall tem uma platéia educada, mais contida nas suas emoções, talvez refletindo a confusão com a seleção das músicas. Enquanto o álbum contém versões estendidas de três das melhores canções da banda, para mim elas são inferiores às que constam no  maravilhoso  primeiro álbum  da banda.

Track List:
01. Give Your Woman What She Wants – 3:56
02. A Hot Summer Day – 8:46
03. Angels And Animals – 4:13
04. Bombay Calling – 8:10
05. Going To Another Party – 4:26
06. Good Lovin’ – 5:12
07. The Grand Camel Suite – 2:52
08. White Bird – 9:54

Line-up:
- David LaFlamme / violin, vocals
- Pattie Santos / percussion, vocals
- Fred Webb / organ, piano, vocals
- Bill Gregory / guitar
- Tom Fowler / bass
- Val Fuentes / drums, vocals

terça-feira, 9 de agosto de 2011

ARGENT - Encore Live

Após o Zombies se separar, o tecladista / compositor Rod Argent formou sua própria banda em 1969, que incorporou mais clássicos, jazz, e o art rock  de acordo com a formação musical de Argent. Outros membros do grupo eram  o guitarrista / compositor Russ Ballard, o baixista Jim Rodford, e o baterista Bob Henrit.
Os dois primeiros álbuns, Argent e Ring of Hands, receberam uma boa quantidade de elogios da crítica, mas seu verdadeiro avanço veio com 1972 com All Together Now, que continha o grande sucesso  "Hold Your Head Up";  In Deep produziu um hit menor "God Gave rock 'N' Roll to You", que foi gravado pelo Kiss em 1992.
 Em 1974, Ballard tinha desenvolvido seus talentos compositor o suficiente para deixar a banda para uma carreira solo ( oThree Dog Night teve um único Top Ten em 1971 com seu "Liar", de Argent), e foi substituído pelo guitarrista John Verity e o músico  John Grimaldi. Sem Ballard, o grupo perdeu seu foco e suas tendências se voltaram  em direção ao art rock e solos de improvisação a níveis um pouco excessivos.  O Argent se separou em 1976; Rodford juntou-se ao Kinks, enquanto Argent gravou vários álbuns solo e se tornou um produtor musical, trabalhando com Tanita Tikaram, entre outros.


Este álbum, originalmente lançado como um LP duplo no início de 1975, era para dar um pouco de tempo para o Argent como o grupo que preparava dois novos membros, John Verity e John Grimaldi, em sua formação, devido a saída do co-fundador Russ Ballard. Como resultado, o Argent apresentou uma banda que já tinha evoluído para além do som aqui apresentados, o que deve ter parecido uma "roubada" para os fãs que compraram o disco. O som capturado neste álbum combina medidas iguais de rock progressivo e hard-pop rock em um conjunto que nunca perdeu a sua meta sobre rock & roll, como em "Thunder and Lightning" e "Music of the Spheres", ou a mais  tradicional  "Keep on Rollin '". Com a guitarra  de Ballard e a seção rítmica de Jim Rodford (baixo) e Henrit Bob (bateria), a banda só poderia desviar para longe do rock, e eles e o tecladista Rod Argent, puxando nessas direções opostas, acabou criando um disco cintilante em grande parte deste registro. Mesmo as "jams" mais longas estão focadas e sempre mantem um dinamismo , embora a abertura, "The Coming of Kohoutek," se aproxime perigosamente a digressão fatal - Pode-se de citar Berlioz nesse momento em que a peça  está prestes a perder o seu propósito como  rock & roll.  A "Jam" de 11 minutos de "Hold Your Head Up" parece um pouco excessiva no momento - uma reação provavelmente causada, em parte, pela padronização pela qual a versão do vinil deste lançamento foi produzida - mas mantém  bem até hoje. E a banda fecha o disco com "Time of the Season", com um arranjo que ninguém poderia ter problema sério -  mas é a canção que todos conhecem e amam, feita com arranjos de guitarra e bateria tão bons que qualquer um que não for Colin Blunstone poderia suportar.
01 The Coming of Kohoutek 10:34
02 It's Only Money, Pt. 1 3:51
03 It's Only Money, Pt. 2 5:04
04 God Gave Rock & Roll to You 7:03
05 Thunder and Lightning 6:21
06 Music from the Spheres 9:15
07 I Don't Believe in Miracles 3:27
08 I Am the Dance of Ages 9:28
09 Keep on Rollin' 5:19
10 Hold Your Head Up 11:16
11 Time of the Season 6:28

Line-up / Musicians

- Rod Argent / keyboards, vocals
- Russ Ballard / lead vocals, guitar
- Bob Henrit / drums
- Jim Rodford / bass

sábado, 6 de agosto de 2011

FISH 1993 - Songs From The Mirror


Songs from the Mirror (1993) é o terceiro álbum solo do cantor  Fish . Ele não contém qualquer material original; ao contrário, é um álbum de covers com versões de Fish de canções de artistas que inspiraram sua carreira . A escolha de músicas do Pink Floyd, Genesis, David Bowie, The Moody Blues e outros, todos originalmente de um período entre 1970 e 1976, reflete o gosto de Fish pela música quando tinha entre 12-18 anos de idade. O título é uma referência ao momento em que ele ia passar os seus ídolos adolescentes na frente de um espelho. Idéia de Fish para fazer um álbum cover remonta ao período de Marillion , mas havia sido rejeitado pela banda.

A Polydor, inicialmente rejeitou a idéia de um álbum de covers, mas acabou aceitando-o como o segundo álbum que Fish foi obrigado a entregar em seu contrato. A partir de fevereiro de 2008, Songs from the Mirror foi o último lançamento de Fish em uma grande gravadora.

Songs from the Mirror é o único álbum de Fish cuja capa não foi desenhada por Mark Wilkinson.  Fish tinha deliberadamente decidido a  não usar Wilkinson, porque ele não queria dar a impressão de que era um álbum com material original. Em vez disso, ele escolheu o "Guddler", do pintor escocês Keith McIntyre como capa. "O Guddler" também foi o título de trabalho do projeto.


 Derek W Dick (Fish) – vocals
    Robin Boult – guitar, background vocals
    Foster Paterson – keyboards, background vocals
    David Paton – bass, bass guitar, background vocals
    Frank Usher – guitar
    Kevin Wilkinson – percussion, drums
    Mick Wall – voices
    Lorna Bannon – background vocals
    Jackie Bird – background vocals



sexta-feira, 5 de agosto de 2011

STEEO_Four Eyes in the Silence


STEEO é o filho de Stefano Ruggiero, basicamente, um artista que vive em Turim / Itália. As composições são um sólido fundamento psych prog, obviamente incluindo algum tipo de PINK e algum tipo de Floyd. Com 'Four Eyes In The Silence ", ele produziu um álbum bastante interessante depois de reunir uma banda de excelentes músicos, por exemplo, o guitarrista Marco Roagna. Além das contribuições vocais de Ruggiero a presença multi-variada de teclados de Beppe Crovella são mais marcantes na minha opinião.
Para os fãs de  psych / prog espacial , Macro, a última faixa é provavelmente concebida para ser o destaque do álbum, uma excursão impulsiva e agradável de música espacial. O ponto mais experimental aqui incluindo amostras e violino -!. Folks bem feito 'Four Eyes In The Silence "é profundamente inspirado pelo Pink Floyd, no entanto fornecidos com exclusividade o suficiente para afirmar que esta é uma compra recomendada. Um álbum de sucesso, menos experimental, mais centrada em baladas charmosas e melodias cativantes, digamos oscilando entre psych prog e psych pop.