domingo, 26 de agosto de 2012


PHIDEAUX - Phideaux & Mogon Promotional Issue 


Doomsday Afternoon é o sexto álbum de estúdio do músico americano Phideaux Xavier, e a segunda parte de sua "Trilogia" projetada de álbuns que lidam com o "Big Brother" autoritarismo e a crise ecológica, depois de sua primeira parte, "O Grande Salto". Possui estruturas musicais mais elaboradas de rock progressivo. Doomsday Afternoon é a obra-prima do Phideaux

 Surpreendentemente, ele rivaliza com o original que é muito bom.
 Há mudanças dissonantes do ritmo e elementos folclóricos que me fazem pensar em Jethro Tull do A Passion Play.
Este cd termina com algo diferente, duas faixas de um projeto separado chamado Mogon. Mogon era um deus adorado na Gália e Britannia.  A música é despojada, mas as estruturas de som e acordes são muito semelhantes. Há uma mistura de música psicodélica na veia do Pink Floyd e do volume de "snuff" soa como um tributo ao início sinfônico do King Crimson. " TheChairs" é uma canção sombria de rock espacial com órgão e Mellotron, algo semelhante ao "Snuff".


Line-up / Musicians
- Phideaux Xavier / piano, guitar, handclaps, vocals
- Rich Hutchins / drums
- Ariel Farber / violin, vocals
- Valerie Gracious / piano, vocals
- Mathew Kennedy / bass guitar
- Gabriel Moffat / lap steel guitar, handclaps
- Linda Ruttan Moldawsky / vocals
- Molly Ruttan / vocals
- Mark Sherkus / keyboards

UNICORN - The Weirdest of Tales 1991

A terceira demo Tape do grupo Sueco  Unicorn, The Weirdest of Tales, é possivelmente minha versão preferida da banda. Nessa Demo, que nunca foi lançada em CD, a banda manteve o charme inegável de seus dois primeiros lançamentos, mas trouxe seu estilo para um som mais maduro e desenvolvido. Por esta razão, The Weirdest of Tales permanece como destaque em sua discografia.
Unicórn sempre foi uma banda interessante para mim. A musicalidade, juntamente com a composição encantadora e otimista funciona perfeitamente na música do grupo.
Como mencionei anteriormente, a musicalidade é grande nesta demo. Dan Swanö oferece um desempenho muito sólido no vocal ao longo desta demo. Acho que este é o melhor momento do Unicorn no aspecto vocal.
Sua bateria é muito bem tocada também. Eu não acho que Swanö seja o melhor baterista do mundo, mas seu estilo se encaixa neste grupo perfeitamente.
Peter Edwinzon faz um ótimo trabalho nos teclados como sempre. Ele é apenas um bom tecladista subestimado.
Esta demo está focada muito mais em solos de guitarra de Anders Mareby do que quaisquer outros lançamentos do Unicórn.
 Eu acredito que  Runesson tenha tocado baixo nesta demo, mas não estou certo. Não Há muita  informação na capa da fita sobre a formação do Unicórn nessa Demo.
Outra grande coisa sobre esta demo é a qualidade composicional. Cada canção é realmente grande e memorável .
Todos as seis canções têm algo de espetacular sobre elas. Seria difícil para mim escolher uma música favorita, mas há alguns momentos de destaque do álbum. A faixa de abertura, Your Last Denial, tem excelentes solos de guitarra de Anders Mareby, bem como um solo de saxofone maravilhosamente  interpretado por Dan Swanö (a parte do sax pode ter sido interpretada por Tom Nouga, mas não estou certo. Como mencionei anteriormente, não há o mínimo de informação sobre a formação do Unicorn nessa Demo). Tunes for the Stork é outro destaque, e é provavelmente a melhor faixa da fita. Espanta-me que nunca uma música tão espetacular nunca tenha entrado num dos full-length do Unicorn . Como eu mencionei, cada canção é grande nesta demo. Cada música é um excelente exemplo de rock neo-progressivo Sueco. Embora a produção pareça muito datada e amadora, a música, no entanto não é.  Eu pessoalmente acho que a produção da um certo charme e tem o seu encanto. The Weirdest Tales é uma demonstração excelente dada pelo Unicorn, e bem digno da classificação de 4 estrelas. 
 Essencial para qualquer fã de neo-prog. É uma pena que essa banda recebe tão pouca atenção. Eles realmente merecem algum reconhecimento.


MACHIAVEL - Live in Brussels


Não há necessidade de apresentar essa lenda do rock belga que é Maquiavel. Talvez, seja o grupo mais emblemático da história do Rock na Bélgica, com mais tempo do que Wallace Collection. Há Dois anos atrás, eles lançaram o álbum "2005" e sairam em turnê.
Este álbum duplo ao vivo cobre sua passagem no Ancienne Belgique. O grupo  apresentou novas composições , oito do último álbum, e foi  as profundezas de seu catálogo. Assim, além dos clássicos "Dancer Rope"  ou "Fly", as peças mais antigas são sujeitas a um medley, assim como o Gênesis costuma fazer atualmente . Portanto, não é surpreendente encontrar os seus mais recentes sucessos como "Washing Their Hands" ou mais "The Might Is Right", "Love crônica" e "Watching The Time".

. É também, provavelmente, o seu melhor álbum de estúdio de seus últimos dez anos. Este é um álbum muito bom ao vivo do  Maquiavel 

                                                                    Live in Brussels
ou
 

domingo, 19 de agosto de 2012


COSMOS - Mind Games


Songs / Tracks Listing
01.Contact (7.39)
02.Skygarden (4.11)
03.Lost Years (6.47)
04.Freak Show (5.44)
05.No Point In Living (5.44)
06.Hollow Man (4.18)
07.Paranoia (7.13)
08.There Are Millions Of Reasons To Carry On (4.48)
09.Close To The Edge (6.25)
10.Sequences (7.28)

Line-up / Musicians
Reto Iseli / drums, vocals
Heiko Garrn / bass
Olivier Maier / guitars, vocals
Daniel Eggenberger / keyboards
Mirjam Heggendorn / vocals

Depois de seis anos de pausa, o Cosmos retorna com dez novas composições cheias de energia e emoções.  A influência do Pink Floyd continua presente, mas hoje a banda avançou e tem uma identidade própria. Com o terceiro álbum de estúdio, "Mindgames" o Cosmos cria um álbum muito pessoal. Especialmente a canção CONTACT, descreve de forma impressionante a incidência trágica da experiência de quase-morte do Reto Iseli, o baterista.
LOST YEARS fala sobre a triste história de Dwayne Dail, que foi preso sem culpa por anos. Close To The Edge é uma composição em nome do selo americano  Cypher Arts . Esta canção foi planejada para estar em um CD box-set com piratas como tema. Infelizmente a gravadora ainda não aceitou essa idéia.
 Em "Mind Games" ouvimos uma cantora nova, fantástica chamada Mirjam Heggendorn. Ela substitui Silvia Thierstein, que virou-se para o desafio de ser mãe.




COSMOS - The Deciding Moments Of Your Life



Songs / Tracks Listing
1. Intro (1:03)
2. Far Away (4:46)
3. Where Is Yourself (4:12)
4. I Wonder (3:59)
5. Just A Little Pinprick (4:41)
6. Nightmare (4:23)
7. The Deciding Moments of Your Life (4:24)
8. New Beginning (4:02)
9. When the Bird Flies Down South (5:08)
10. Voice of Nature (4:01)
11. The Wind in Your Sail (3:39)
Bonus Tracks:
12. With you (06:19.)
13. Crossing the desert (Part I) (3:56)
14. With you (Radio Edit) (4:21)

Line-up / Musicians
Reto Iseli / drums, vocals
Heiko Garrn / bass
Olivier Maier / guitars, vocals
Sandra Moser / vocals
Regula Kamber / vocals
Maria Negro / vocals
Thomas Kohler / keyboards
Benj Allenbach / keyboards

O Grupo Suiço COSMOS  pode traçar suas raízes por volta de 1990, quando Reto Iseli (bateria e vocal) formou sua primeira banda, na época chamada Glacier Eagles. No final de 1993 eles decidiram que Cosmos era um nome melhor pois descrevia melhor o som e suas influências de Pink Floyd , e no ano seguinte,  lançaram seu álbum de estréia, "The Deciding Moments of Your Life"

O álbum teve uma recepção muito boa, e para os próximos anos o  Cosmos desfrutava de um grau justo de sucesso em seu país natal com shows ao vivo combinando seu próprio material original com covers de Pink Floyd. No entanto, em 1998, as tensões internas fizeram com que a banda se separasse.

Vem 2003 e um projeto solo começou com Heiko Garrn (baixo) e Maier Olivier (guitarra) que convidaram Iseli a se juntar a eles, e com a adição de Silvia Thierstein (vocal) e Daniel Eggenberger  (teclados), decidiu-se acabar com o projeto solo,  para vivificar o Cosmos novamente.



                                                            THE DECIDING MOMENTS...

QOPH - An Lyser Manen

Songs / Tracks Listing
01.Än lyser månen (3:58)
02.Dansar galet bakåt (4:30)
03.Ögonblick (10:25)
Total Time 18:53

Line-up / Musicians
Federico de Costa / drums
Robin Kvist / vocals
Filip Norman / guitars
Patrik Persson / bass
Jimmy Wahlsteen / guitars
Karl Asp / saxophones


"Originalmente formado como um trio de rock instrumental em 1995 pelo baterista Federico Costa, Filip Norman na guitarra e  Patrik Persson no baixo, a música foi espontaneamente fluindo como num fio comum de rock psicodélico explosivo durante a idade de ouro da MTV que os endossou . Robin Kvist logo se juntou ao grupo  e começou os vocais na lingua mãe.
O estilo único do Qoph começou a se tornar mais coeso e a banda começou a excursionar exaustivamente fazendo apreentações ao vivo no circuito  músical Sueco durante os anos seguintes.
O lançamento  de estréia da banda, Kalejdoskopiska Aktiviteter (Record Heaven, 1998), vendeu alguns milhares de cópias internacionalmente, mesmo que apenas um punhado de ouvintes pudesse entender o sueco. O segundo álbum do Qoph , "Pyrola", por outro lado , traz uma mensagem menos subliminar  em Inglês. Ele foi lançado na Suécia, Alemanha e Japão, em 2004 e 2005.  O Qoph se tornou uma banda bem conhecida devido a energia e potência de suas apresentações ao vivo. 

domingo, 12 de agosto de 2012


TAYLOR'S UNIVERSE - Kind Of Red



Formado em 2000. A base do groupo é formada por:
 Karsten Vogel: saxes, 
Pierre Tassone: violin & electronics - Junto com Taylor na guitarra, keyboards & electronics. 
Um dos últimos CDs de Robin Taylor com o Taylor's Universe, Kind Of Red   continua a tendência, a partir da beleza melódica friamente tocada de "Jakriborg" para a tensão Crimsoniana  de "Homens Crackpot" para o avant -garde e experimentalismo  rítmico de "Salon Bleu" para o excelente "Tortugas", que justapõe um longo mosaico de som experimental com uma seção de rock pesado dominado por Taylor com riffs de guitarra . Um conjunto carregado de composições e de coesão temática que fazem deste um dos melhores esforços de Taylor, que pode não ter o suficiente de música em ritmo acelerado para satisfazer alguns gostos, mas os amantes de teclados antigos e rock progressivo , com nuances de jazz podem se deliciar com este CD.


STERN-COMBO MEISSEN - Lebensuhr


Desnecessário fazer comentários sobre o Stern-Combo Meissen. Este CD apresenta um novo conceito musical do grupo, sem no entanto deixar de lado as suas características técnicas e melódicas. Um bom CD que vale a pena conferir.