domingo, 7 de outubro de 2012


ASH RA TEMPEL - Join Inn (1973)

ste álbum segue novamente o projeto de sua estréia. A primeira música  me faz lembrar do Hawkwind (mas eu não estou questionando quem inspirou quem) e é um "Must Have". Um pouco mais refinado do que Amboss no  Freak'n Roll, álbum de estréia ! Uma session de 19-minutos de liberdade embalada encravada na musica, não estendendo-se para além de seus limites. Mais uma vez a segunda parte mais silenciosa  é muito mais contida na profundidade músical, contando com o ambiente e esperando os últimos cinco minutos para decolar. Embora muito melhor do que a faixa S & B do álbum Schwingungen, Jenseits  não consegue desenvolver um clima  Floydiano  com a blues jam , nas últimas partes dedicadas aos vocais calmas (quase sussurrando) e teclados celestiais ..

Com este álbum, Klaus Schulze está de volta à drumkit e ele também trouxe o seu synth VCS3 com ele. Ele saiu antes da gravação do Schwingungen  para gravar seu  álbum solo Irrlicht. Ele não usou qualquer synth no álbum, mas fez sobre o acompanhamento com o Cyborg. Eu não sei qual foi gravado em primeiro lugar: Cyborg ou Join-Inn, de qualquer forma ,1973 foi o primeiro ano em que se ouve Schulze usando synth. O Guitarrista Manuel Gottsching traz  sua namorada Rosi Mueller para adicionar alguns vocais.
Como nos dois álbuns anteriores, a música aqui é baseada na improvisação e "jamming". Como no álbum debut, auto-intitulado de 1971, há duas faixas longas, uma mais rock , a outra mais ambient. Eu prefiro "Amboss" do álbum de estréia  "Freak'n'Roll" , mas "Jenseits" é muito melhor do que "Traummaschine".


Nenhum comentário:

Postar um comentário