sexta-feira, 18 de janeiro de 2013


SECRET ÖYSTER (Re post)

 O SECRET ÖYSTER foi na verdade a continuação do BURNIN' RED IVANHOE, que se separou (a primeira vez) em 1972 depois de várias disputas sobre o futuro direcionamento da banda entre Karsten Vögel e os outros membros. Com os excelentes musicos do SECRET ÖYSTER (Incluindo Bøhling, que veio do HURDY GURDY e Knudsen que veio do CORONARIAS DANS), Vögel conseguiu o veículo perfeito para explorar as novas direções do fusion experimental, parcialmente inspirado pelo WEATHER REPORT, mas também tirando proveito do excelente guitarrista Bøhling.

O Primeiro álbum do SECRET Öyster tornou-se um sucesso arístico e comercial na Dinamarca. Esse álbum também vendeu muito bem no resto da scandinávia e ganhou um certo reconhecimento na Alemanha, Inglaterra e Estados Unidos. MAs, a despeito desse sucesso, Vinding e Andersen deixaram o grupo. O aparecimento de Stæhr fez com que o BURNIN' RED IVANHOE ressurgisse, agora com o mesmo line-up do SECRET ÖYSTER , mas com um estilo musical diferente. "SEA SON" consolidou a popularidade do SECRET ÖYSTER, mas não superou o primeiro álbum em termos de qualidade ( embora fosse um jazz-rock de qualidade). Em 1975, o SECRET ÖYSTER começou uma turnê européia como grupo de apoio ao CAPTAIN BEEFHEART, mas naquele mesmo ano, a CBS optou em não mais investir no SECRET ÖYSTER por achar o seu som muito elitizado.

"Vidunderlige Kælling" (1975) foi a musica do Ballet de Flemming Flint .  As composições ( em contraste com aquelas do álbum anterior) eram mais concisas e livres de qualquer improvisação e o SECRET ÖYSTER deu conta dessa tarefa com Brilho. Contudo, o seu último álbum foi uma tentativa frustrada de fazer musica mais acessível.

SECRET ÖYSTER foi um dos poucos grupos Dinamarqueses que conseguiu vendas significativas na época. Seu primeiro álbum continua sendo um dos mais importantes da história do rock Dinamarques.

Claus Bøhling - Guitar
Kenneth Knudsen - Keyboards
Karsten Vogel - Sax, Keyboards
Mads Vinding - Bass
Bo Thrige Andersen - Drums
Jess Stæhr - Bass
Ole Streenberg - Drums
 
 
 
 
 




 



 
 
 


quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

ATOLL - L'Araigneé Mal

 

Songs
1. Le Photographe Exorciste (8:17)
2. Cazotte No.1 (6:21)
3. Le Voleur d'Extase (7:33)
4. L'Araignée-Mal i) Imaginez le temps (6:41)
5. L'Araignée-Mal ii) L'Araignée-Mal (5:10)
6. L'Araignée-Mal iii) Les robots débiles (3:35)
7. L'Araignée-Mal iv) Le cimetière de plastique (6:20)

Line-up

- Richard Aubert / violin
- Andre Balzer / lead vocals, percussion
- Christian Beya / guitar
- Alain Gozzo / drums
- Michel Taillet / keyboards
- Jean Luc Thillot / bass

Este é um dos melhores álbuns escritos na França, mas não um dos mais bem gravados por causa da qualidade da gravação, já que parece ter sido feita em um estúdio barato. Os vocais são típicos dos grupos franceses  e iria influenciar bandas como o Carpe Diem. Quanto à música, esta é fortemente influenciada pelo Gênesis, mas não soa como uma banda clone e tem uma vida própria. O Atoll tornou-se uma referência para descrever as Bandas de prog sinfônico francês que não eram como o Magma (zheul) ou Ange (teatro prog).


RACCOMANDATA RICEVUTA RITORNO - Mondo di Cristallo


RACCOMANDATA CON RICEVUTA DI RITORNO

Luciano Regoli (vocals, acoustic guitar)
Nanni Civitenga (guitar)
Stefano Piermarioli (keyboards)
Damaso Grassi (flute, sax)
Manlio Zacchia (bass)
Francesco Froggio Francica (drums, percussion)

RRR ( como eles são mais conhecidos) foi um grupo Romano, onde seus integrantes vieram de outros grupos menores, somente Luciano Regoli tinha experiencia significativa com o Grupo " Il Ritratto di Dorian Gray".
O único álbum do grupo, Per..Um Mondo di Cristallo, veio com uma capa em álbum, com um belo desenho lançado pelo selo Up & Down Studio ( Assim como o Fiaba do Procession), mistura o típico som do progressivo Italiano da década de 70, com o som de guitarra acústica, flauta e Keyboards, com influencias jazzísticas. O resultado, a primeira audição pode parecer estranho, mas, o disco possui grandes faixas como por exemplo "Un Palco di Marionette".
A Banda tocou nos principais festivais pop Italianos entre 1972 e 1973 antes de se separar devido a pressão da gravadora para que eles participassem do festival de San Remo, que não era bem visto pelos componentes do grupo, que o acahavam pop demais para as intenções da banda.
Roberto Gardim ( do Il Ritratto di Dorian Gray) veio para o lugar de Manlio Zacchia no Baixo. O Cantor Regoli e o guitarrista Civitenga saíram para formar o SAMADHI, enquanto o baterista Froggio Francica foi tocar com o PROCESSION nas gravações do álbum Frontiera de 1974 e depois passou um curto período com o KALEIDON.
Luciano Regoli deu seguimento ao seu interesse em arte, tornando-se um pintor popular.
Em 2010 um novo álbum reviveu o nome Raccomandata. Formado por Luciano Regoli com Nanni Civitenga, Roberto Gardin e Walter Martino, a formação reunida, foi fortalecida por alguns nomes importantes do Prog Italiano como Claudio Simonetti ( Goblin), Lino Vairetti (Osanna) e Nicola Di Staso (LIbra) para a gravação do "Il Pittore Volante".

RRR


IF - Live in Europe 1972


Este álbum do IF foi lançado como um "Gravações Inéditas", como afirma na capa. O que é verdade apenas em parte. Na realidade, contém quatro outtakes do quarto álbum da banda (gravado ao vivo no estúdio) "Waterfall", e três faixas estendidas de sua turnê de 1972 (que deu bastante material gravado para o álbum ao vivo lançado antes).
As Músicas ainda que com um pouco de energia adicional, não soam a nível de gravações em estúdio (especialmente vocais). As Canções do álbum ainda são colocadas em ordem semelhante, como em "Waterfall". Possivelmente, a composição mais interessante neste álbum seja a ultima , What did I say about the Box, Jack", que veio de seu álbum de estréia, mas se estende até 20 .
De todos, o álbum é o mais suave, um pouco mais pop-orientado, do que o de sua estréia, mesmo que ainda tenha muito de improvisos jazzísticos e arranjos de metais. Não é um álbum ruim para os fãs da banda, mas um pouco restrito para  outros. Na verdade, não acrescenta nada de novo para as gravações anteriores da banda.
Songs :
Waterfall 4:38
The Light Still Shines 5:00
Sector 17 8:06
Throw Myself to the Wind 4:01
I Couldn't Write and Tell You 9:45
Your City Is Falling 5:47
What Did I Say About the Box, Jack 20:20

Line-up
Dennis Elliott / Drums
John Mealing / Keyboards, Vocals
Dick Morrissey / Flute, Sax
Dave Quincy / Sax
Jim Richardson / Bass
Terry Smith / Guitar