terça-feira, 23 de abril de 2013


NEW TROLLS - Concerto Grosso 3


Afinal ...  o tão esperado Concerto Grosso n º 3 finalmente.
The Legend of New Trolls com Luis Bacalov dá à luz o mais esperado do seu trabalho. : Giorgio D'Adamo (baixo), John Belleno (bateria e vocais), Vittorio De Scalzi (piano, flauta, teclados e vocais) e Nico Di Palo (teclados, vocal e guitarra), acompanhados nessa gravação por Andrea Maddalone (guitarra) e Francesco Bellia (Cori), com a Orquestra, claro,  "Luis Bacalov".

Tracklist:

01) The Mythical City
02) Oh Venice
03) Storm In Venice
04) Like Ophelia
05) My Guitar From The Heart
06) The Magical City
07) Per Nico
08) Per Chi Combatte Per Noi
09) Per Freddie
10) Per Tutti I Bambini del Mondo
11) Per Lui
12) Per Amore
13)Per Chi Non Capisce




COLOSSEUM - Live 2005




  1. Showtime    
  2. Come Right Back  
  3. Theme For An Imaginary Western 
  4. Lights 
  5. Rope Ladder To The Moon 
  6.   January's Search 
  7.   February's Valentyne 
  8.   Valentyne Suite Theme Three: The Grass Is Always Greener 

CD 2 

  1. Showtime  
  2. Come Right Back  
  3. Theme For An Imaginary Western  
  4. Lights  
  5. Rope Ladder To The Moon  
  6. January's Search
Mais uma vez, os extraordinários músicos da banda liderados pelo baterista Jon "Legend" Hiseman publicam um excelente álbum ao vivo, de primeira classe. Gravado durante as excursão "Colosseum Summer Tour 2005" ,  pelo renomado engenheiro de som Miles Ashton. A guitarra do virtuoso Clem Clempson e os teclados de Dave Greenslade com uma pura qualidade de som que mistura mágica e talento.  

As gravações do segundo CD foram feitas, durante o show em, Innsbruck em 30/06/2005. A coisa especial sobre esse álbum é que estas são as primeiras gravações ao vivo com Barbara Thompson, que ocupou o lugar de Dick Heckstall-Smith. Estas gravações, são de primeira classe, pelo seu fantástico sucesso e apoiadas pelos vocais do incomparável Chris Farlowe e arredondado pelo baixo  do excelente  Mark Clarke . É um grande prazer de ouvir este CD.

sábado, 13 de abril de 2013


BEGGARS OPERA - Waters of Change  (REPOST)


- Martin Griffiths / lead vocals
- Alan Park / keyboards
- Ricky Gardiner / lead guitar and vocals
- Gordon Sellar / acoustic guitar & bass guitar and vocal
- Ray Wilson / drums

Beggar's Opera foi uma banda escocesa de Glasgow formada em 1969 pelo guitarrista Ricky Gardiner . O nome da Banda veio de um romance escrito pelo poeta John Gay em 1728. Progressivo sinfônico calcado nos teclados e muito bom .
MATCHING MOLE - Matching Mole   (REPOST)


                                    Um Clássico do Canterbury Britanico. repost por solicitação.

Matching Mole foi uma  banda inglesa de rock progressivo da cena Canterbury de curta duração, mais conhecida pela música "O Caroline". Robert Wyatt formou a banda em outubro de 1971 depois que ele deixou Soft Machine e gravou seu primeiro álbum solo "The End of an Ear". Ele continuou seu papel no vocal e bateria e foi acompanhado por David Sinclair, do Caravan, no órgão e piano, Phil Miller na guitarra e Bill MacCormick, anteriormente , no baixo. O nome é um trocadilho em francês Machine Molle, a tradução francesa do nome "Soft Machine"de  grupo anterior de Wyatt.

 


THE VIOLET HOUR - The First Sermon

THE VIOLET HOUR foi uma banda britânica, que teve a chance de ganhar fama e fortuna quando assinaram com a CBS em 1990. Doris Brendel (vocais, flauta, violão), pode ser vista em retrospecto como a estrela, talvez principalmente por ser filha do aclamado pianista Alfred Brendel. Seu forte desempenho vocal causou um grande impacto, e chegou a ser comparada por alguns  a Janis Joplin em grande estilo. Mark Waite (teclados), Martyn Wilson (guitarra), Andrew Fox (baixo) e Sean Holborn (bateria) foram os outros membros do grupo.
1991 viu o lançamento de seu álbum de estréia, "O Sermão do Fogo", bem como dois singles. A banda excursionou posteriormente, incluindo duas grandes turnês com Marillion. Isso foi uma coisa boa em termos de obtenção de reconhecimento, mas finalmente provou ser a causa da morte bandas também. Diferenças pessoais e profissionais entre os membros da banda foi destaque neste cenário, e em dezembro de 1992 a vocalista Doris Brendel deixa o grupo. Inicialmente,  foi planejado para ela seguir carreira solo e a banda  gravar um novo álbum com um vocalista substituto, mas a recessão no início dos anos 90 fez com que ambos os projetos fossem descartados, e THE VIOLET HOUR então se desapareceu.
THE VIOLET HOUR fez música com influências de bandas como Beatles, Pink Floyd, Kansas e IQ, com uma inclinação para um estilo e foco na criação de melodias fortes e um humor descrito por alguns como "Dream Prog ".  


sábado, 6 de abril de 2013


FLIGHT 09 - Forbidden Lullabies

O FLIGHT 09 foi formado em 1986, em Tashkent, capital do Uzbequistão (ex-URSS). Desde 1986 eles têm se dedicado exclusivamente ao metal progressivo. Recentemente, no entanto, eles foram forçados a regressar às suas raízes progressivas proto-Hard Rock devido à impopularidade da música complexa em sua cidade natal (ao contrário de Samarkand, por exemplo).

Participação em  Rock-Festivais: 1990, 1991, 1992, 1993, 1998.
Participação no Rock-Festivais dentro dos países da CEI: 1987, 1993.
Grandes Prêmios em Festivais: Rock-1987,1990, 1992,1993.

Turnês com 'No Longer Music "(Holanda), em 1991, com Lee Benhkin (EUA), em 1993, com Charlie Watson (EUA) em 1994, 1995, 1997, 2000.

Álbuns: "0990" -1990 (CC), "Vermelho e Preto" -1993 (CC), "Jump In The Fire" -1994 (CC), "História de Amor" -1995 (CC), Reunião "no material mundo "-1997 (CC)," Turn Off the Light "-1999 (CC)," Rifflection "-2002 (CD)," Lullabies proibido "-2003 (CD)
 
O FLIGHT 09  diz hoje se sentir muito orgulhoso de anunciar o seu primeiro CD Internacional, intitulado "Rifflection", lançado pelo selo os EUA "Registros Neurosis e gerido pelo guitarrista bem conhecido / compositor Rick Ray, a quem gostaria de agradecer pela sua inestimável ajuda e apoio.

Flight 09:  Igor Savitch(vocals, guitars & keyboards), 
                Constantine Savitch(bass) 
                Artiom Piyanzin(drums).



KENSO - Sora ni Hikaru - Early Live Vol. 1


Kenso é uma banda do Japão. A música combina um  jazz-rock progressivo ou um rock progressivo misturado com jazz. A ênfase está no desempenho e improvisação com temas complexos, quebras, desenvolvimentos elaborados e arranjos que lembram o HATFIELD AND THE NORTH e o BRAND X.
A musicalidade é excelente. Minha indicação de Kenso para os aficcionados pelo Prog-Fusion são os CDs: "Kenso III" e "Yume no Oka".

- Kimiyoshi Matsumoto / bass
- Kenichi Oguchi / keyboards
- Toshihiko Sahashi / keyboards
- Yoshihisa Shimizu / guitar, autoharp, kalimba, mellotron, koto
- Haruhiko Yamamoto / drums, piano, percussion, glass, alto sax




DAVID CROSS BAND - Alive in the Underworld


David Cross (nascido em 23 de abril de 1949) é um violinista que nasceu em Turnchapel perto de Plymouth, Inglaterra, mais conhecido por ter sido o violinista do King Crimson durante a década de 1970 (particularmente nas gravações dos LPs  Larks Tongue in Aspic, Starless and the Bible Black e Red). Ele também toca teclados.

Depois do King Crimson, Cross formou uma banda de jazz de improvisação chamada "They Came from Plymouth" , com Keith Tippett (piano), Dan Maurer (bateria) e Jim Juhn (guitarra, baixo, percussão), ele formou um projeto de curta duração em 1987, chamado de "Low Flying Aircraft" (aeronaves que voam baixo).
Em 1998, ele foi convidado por Geoff Serle para se juntar ao "Radius". Além de Cross e Serle (teclados, eletrônicos, amostras), o Radius incluía Sheila Malony (nos teclados), Maxine Braham e Lúcio Carlo Asciutti (vocais).

Desde meados dos anos 1980, ele também liderou a sua própria banda, formada pelo baterista americano Dan Maurer, a tecladista Inglesa  Sheila Maloney e o baixista / vocalista  de Liverpool John Dillon.
Os Ex King Crimson John Wetton, Robert Fripp, e Peter Sinfield, bem como o renomado letrista Richard Palmer-James, todos aparecem como convidados em seus projetos solo.

Cross também trabalhou no teatro tanto musicalmente quanto como ator. E, em 1999, ele montou  a Noisy Records, sua própria gravadora.