quarta-feira, 28 de abril de 2010

GNIDROLOG - Lady LAke


GNIDROLOG
Artwork Incluída
Japan 24-Bit Remaster

A banda foi fundada em 1969 pelos irmãos gêmeos Colin e Stewart Goldring, tendo se juntado a eles posteriormente o baterista Nigel Pegrum que veio do Spice (a banda que mais tarde iria tornar-se o Uriah Heep), o baixista Peter "Mars" Cowling, o vocalista John Earle e a pianista Charlotte Fendrich. Eles criaram o estranho nome da banda ao inverter e levemente reorganizar o sobrenome dos irmãos. Em 1972 eles lançaram seus dois primeiros álbuns, In Spite of Harry's Toe-Nail e Lady Lake, antes de encerrar a banda devido a falta de sucesso comercial. Apesar de ter realizado turnês com bandas conhecidas como King Crimson, Gentle Giant, Wishbone Ash, Soft Machine, Colosseum e Magma em sua breve carreira, eles sempre permaneceram relativamente obscuros.

Após o final da banda, Nigel Pegrum juntou-se ao Steeleye Span, enquanto que os irmãos Goldring formaram a banda de punk rock Pork Dukes em 1976 e mais tarde tornaram-se músicos de estúdio, assim como fizeram os outros integrantes. Após 27 anos, eles reuniram-se em 1999 e lançaram o seu terceiro álbum de estúdio intitulado Gnosis em 2000. Peter "Mars" Cowling começou a trabalhar com Pat Travers em 1975, e conseguiu obter uma dose considerável de sucesso durante sua longa relação com Travers.

Soberbamente interessante este segundo álbum de uma banda Galesa, ainda a ser descoberto pela maioria dos "proghead". Este é um prog baseado no blues com folk e pitadas de jazz , com ambientes bastante agressivos (de VdGG, Flauta de J Tull). A voz do cantor me faz lembrar de uma banda de prog infelizmente esquecida chamada AUDIENCE (que gravou quatro álbuns entre 69 e 72 para o selo Charisma), e a música é um cruzamento dos grupos acima mencionados, notamos isso em Blodwyn Pig e KC, e às vezes um pouco de Gentle Giant. Os riffs de saxofones, flautas, violoncelos tornam este álbum bastante incomum e bastante original , e a capa chega a ser é um pouco assustadora um aspecto igualmente presente, às vezes na música.

A música "I Could never be a Soldier" é uma verdadeira jóia, a faixa-título é um prazer imediato para agradar qualquer viciado em prog . "Ship" pode levar algum tempo para conquistá-lo, mas é preciso ser paciente com "Social Embarassment" como a final é provavelmente um dos mais violentos e mais estranhos momentos em um álbum de progressivo e é o único número que não é cantada por Goldring. Os dois números são menores mas, do mesmo padrão soberbo, um deles com um piano, a única vez que você vai ouvir Keyboards nessa faixa. O som sólido e cantado ferozmente pode assutar algumas pessoas, mas em última análise, isto irá satisfazer o mais exigente "proghead". Comece com Social Embarassment, o início pode ser difícil, mas é memorável.

* Stewart Goldring – guitarra solo
* Colin Goldring – vocal principal, guitarra base, flauta doce, sax tenor, trompa, harmônica
* Nigel Pegrum - percussão, flauta, oboé, piano
* John Earle – sax soprano, tenor e barítono, flauta, vocais
* Peter "Mars" Cowling - baixo, violoncelo
* Charlotte Fendrich - piano


01. I could never be a soldier (11:36)
02. Ship (6:44)
03. A dog with no collar (2:09)
04. Lady Lake (8:53)
05. Same dreams (2:49)
06. Social embarrassment (6:30)

>>Download<<

Nenhum comentário:

Postar um comentário